Páginas

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Missa do Galo


Foi uma noite extremamente fria, mas, clara e estrelada. Entre aplausos e o som dos trompetes de prata o Santo Padre Bento XVI ingressou na Basílica de São Pedro para celebrar a Missa de Natal, ou como costumeiramente chamamos a missa do galo.





A oitava celebração da noite de natal do Pontífice ocorreu duas horas antes da meia-noite, para evitar o cansaço e desgaste do papa, que conta com 86 anos de idade. Ele adentrou a Basílica papal  fazendo uso de um pedestal móvel, que se tornou comum em seus aparecimentos.




Conforme anunciado por seu cerimoniário pontifício, Monsenhor Guido Marini, o Papa fez uso pela segunda vez do Fánon Papal. Um espécie de capa, imposta sobre a casula, que representa com suas faixas verticais, de cor dourada, a unidade e indissolubilidade da Igreja latina e oriental. 
O Beato João Paulo II fez uso dele pela última vez na década de 80. Ele está reservado para grande celebrações nais quais o Papa paramenta-se pontificalmente e preside o Santo Sacrifício.



A missa da noite de Natal, foi concelebrada por cerca de 30 cardeais, muitos outros assistiram, com veste coral. Se fez uso de um antigo cálice que pertenceu a Pio IX, com belas pedras de diamante.




Em sua homilia o Papa pediu pela paz na Síria, no Líbano, na Palestina e em Israel "para que os cristão possam conservam sua morada nestes lugares" e para que "os cristão e muçulmanos possam construir juntos seus países na paz de Deus". 





Nunca a presença de nosso país esteve tão marcada na missa de natal presidida pelo Papa. Já na procissão de entrada, haviam 10 crianças, dois deles brasileiros, que colocaram arranjos florais em torno da imagem do Menino Jesus, diante da Cátedra e do Altar da Confissão. As oblatas trazidas em procissão foram entregues ao Pontífice por brasileiros e a imagem da Virgem Maria, ricamente ornada com flores, que presidia o presbitério foi uma doação do então Presidente da República ao Venerável Papa Paulo VI, são os sinais da JMJ 2013.




3 comentários:

Kaiser Hg' (Hugo) disse...

Gostaria de saber qual a regra que rege essas situações extraordinárias, como as crianças na procissão de entrada para levar flores à imagem do Menino Jesus.
Em que situações pode-se admitir esse tipo de "evento" durante a Missa?

Kaiser Hg' (Hugo) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ânderson Barcelos disse...

Caro Kaiser Hg',
Infelizmente não conseguimos encontrar precedentes litúrgicos para este acontecimento. Talvez até exista alguma rubrica prevendo o facto, mas, não a encontramos.

O que sabemos é que, ornar o Menino Jesus recém descoberto, após a solene recitação das Kalendas é um antigo costume na liturgia papal.
Trata-se de uma tradição local, a qual, respeitamos e julgamos digna de piedade e devoção.

Continuaremos a buscar algo que possa vir a explicar este simples e honrado gesto de piedade popular do povo romano e de nosso Pontífice.

Fraterno Abraço,
Em Cristo.

Sem. Ânderson Barcelos
Administrador.